Free Web Hosting Provider - Web Hosting - E-commerce - High Speed Internet - Free Web Page
Search the Web

CARTA À IGREJA DE LAODICÉIA

APOCALIPSE 3:14-22

 

1 – CONTEXTO HISTÓRICO

   

Laodicéia deve o seu nome ao rei Antíoco II da Síria, que o deu em homenagem à sua esposa Laodice, após reedifica-la em cerca de 261-247 A C.. Era uma das principais cidades da Frigia, na Ásia Menor, situada ao sul de Colossos e de Hierápolis, e próxima aos rios Lico e Meander;

Era uma cidade muito próspera, tão rica que quando um terremoto a danificou consideravelmente em 60-61 D.C., ela foi capaz de financiar a reconstrução com recursos próprios. Por este motivo, alguns historiadores, entre eles o romano Tácito, afirmam que ela era um importante centro bancário da época, sendo ao mesmo tempo, uma cidade industrial na região, manufaturando um belo e famoso tecido negro de lã, que era usado para fazer roupas e tapetes.

Devido à fertilidade do vale em que se encontrava situada, a cidade tinha abundância de todos os produtos do campo, de modo a bastar-se a si mesma.  Possivelmente, por este motivo ela se tornava indiferente às realidades espirituais, à semelhança de Sodoma, nos seus tempos (Ezequiel 16:49 – Estes foram os pecados de Sodoma, sua irmã: orgulho, preguiça e desprezo aos pobres e necessitados, quando ela tinha riquezas e alimento de sobra.; Gênesis 13:10 – Ló olhou a fértil planície do rio Jordão, bem regada em toda a extensão.  É bom lembrar que isto aconteceu antes de Sodoma e Gomorra serem destruídas. Aquela região era uma beleza! Fazia a gente pensar no jardim que o Senhor plantou no Éden! Era comparável à bela região do Egito, situada a meio caminho de Zoar! ).

Laodicéia possuía um hospital e uma conhecida escola de medicina, onde se diz que clinicava o famoso médico Cláudio Galeno, natural de Pérgamo, que ministrava a seus clientes o lendário “pó da Frigia”, que servia para medicamento oftálmico.

É provável que a igreja de Laodicéia tenha sido fundada por Epafras, de Colossos (Colossenses 4:12,13 – Epafras, daí da cidade de vocês, um servo de Cristo Jesus, envia-lhes suas recomendações. Ele está sempre orando fervorosamente por vocês, pedindo que Deus os faça fortes e amadurecidos e os ajude a conhecer a sua vontade em tudo quanto fizerem. Posso assegurar-lhes que ele tem trabalhado incansavelmente por vocês em sus orações, e também pelos cristãos de Laodicéia e de Hierápolis.). Paulo conhecia através de informações a igreja, porque de Roma escreveu uma carta aos laodicenses (Colossenses 4:16 – A propósito, depois de lerem esta carta, vocês poderiam passa-la adiante para a igreja de Laodicéia? E leiam também a carta que escrevi a eles.), cujo paradeiro se desconhece.

Não há dúvida de que a igreja de Laodicéia era tão próspera quanto a própria cidade, e exatamente em excelente situação. A  carta não menciona perseguições por funcionários romanos, dificuldades com os judeus, ou qualquer tipo de falsos mestres dentro da igreja. Laodicéia era muito parecida com Sardes, um exemplo de cristianismo nominal e acomodado. Em Sardes, entretanto, ainda havia um grupo que tinha preservado a fé viva (3:4), enquanto que Laodicéia estava totalmente tomada pela indiferença.

   

2CONTEXTO BÍBLICO - COMENTÁRIO

   

a)      Credenciais de Jesus  - “Estas coisas diz o AMÉM,  a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus”- (vs. 14).

Jesus se apresenta a esta igreja através de três características principais:

1)      “Estas coisas diz o “AMÉM”, palavra que em hebraico significa confirmação ou veracidade (Isaias 65:16 – Então, se alguém pedir uma bênção ou fizer um juramento, pedirá e jurará pelo Deus da Verdade. Eu mesmo confirmarei a bênção e o juramento, porque já terei Me esquecido de todas as maldades e pecados que vocês cometeram no passado.). Esta expressão significa então, que podemos confiar plenamente em Jesus, pois suas palavras são confiáveis. Paulo explica melhor esta questão, quando escrevendo aos Coríntios (II Coríntios 1:19,20) afirmou que não existe qualquer dubiedade em Jesus, bem como, nenhuma separação entre as suas promessas e o seu “sim”, ensinado-nos desta forma que n’Ele nós sempre encontramos o “AMÉM” da confirmação e da verdade (Números 23:19 – Deus não é homem, pois não mente, Nem se arrepende como todos ser humano. Ele faz o que promete. E cumpre o que diz.). 

2)      “Estas coisas diz a testemunha fiel e verdadeira”- esta expressão indica que além da “veracidade” das palavras de Jesus, Ele mesmo se apresenta como “testemunha”para autenticá-los, visto não haver ninguém mais em condições de faze-lo (Hebreus 6:13 – Por exemplo, a promessa de Deus a Abraão: Deus jurou pelo seu próprio Nome, visto que não havia ninguém maior por quem jurar, que Ele abençoaria Abraão constantemente, que lhe daria um filho e o faria pai de uma grande nação.; Hebreus 6:17 – Deus também Se comprometeu fazendo um juramento, a fim de que os que Ele prometera ajudar soubessem com toda a certeza e nunca precisassem recear que Ele mudaria seus planos.). Este fato deveria ser suficiente para que uma igreja “morna”como esta, despertasse de sua indiferença espiritual.

3)      “Estas coisas diz o princípio da criação de Deus”- a palavra “princípio” aqui, significa muito mais origem do que começo. Ele é o primeiro e o último, o Alfa e o Omega (1:8 e 17), pois transcende toda criação, sendo o primogênito desta  (Colossenses 1:15 – Cristo é a semelhança perfeita do Deus invisível. Ele já existia antes de Deus criar qualquer coisa,). Nesta fase está ainda subentendido que Deus é a fonte primeira da criação, e que Cristo é o agente imediato e a razão única desta (I Coríntios 8:6 – Nós porém, sabemos que há um só Deus, o Pai que criou todas as coisas e nos fez para que fôssemos dEle; e um Senhor Jesus Cristo, que fez todas as coisas e nos dá a vida.; João 1:1-3 – Antes de existir qualquer coisa, Cristo já existia, e estava com Deus. Ele sempre esteve vivo e Ele mesmo é Deus. Ele criou tudo o que há – não existe nada que Ele não tenha feito.). A própria construção da frase, utilizando a palavra grega ARCHE (princípio), confirma esta idéia, pois esta é sempre utilizada para indicar aquilo que seria a “causa primeira” de alguma coisa.

Devemos observar ainda como a discrição de Cristo sempre se enquadra dentro das circunstâncias peculiares de cada igreja. À igreja que deixou de ser “fiel testemunha da verdade”, o Senhor Jesus se apresenta como a testemunha fiel e verdadeira.

 

b)      Elogio – esta é a única das sete igrejas a qual Jesus não fez qualquer elogio. Nada foi por Ele encontrado nesta comunidade que merecesse destaque, provavelmente pela sua indiferença espiritual, acarretada certamente pela grande prosperidade material por eles alcançada.

 

c)      Repreensão – “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosse frio ou quente! Assim, porque és morno, e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca”(vs. 15-16).

Esta repreensão contém também o diagnóstico da enfermidade desta igreja. Eles não tinham a frieza da hostilidade ao evangelho ou da rejeição da fé, mas também, não tinham zelo e fervor (Atos 18:25 - ).  Alguém já disse que a expressão “frio” é um simbolismo que representa o homem natural, que ainda não conhece a Deus. Neste caso a expressão “morno”, é também simbólica, e indica “mistura”. Sabemos, através do ensino do Antigo Testamento, que Deus abomina a mistura dos Seus padrões com os do mundo em que vivemos (Isaías 1:13 – O incenso que vocês queimam para Mim, cheira mal. Suas festas religiosas – a lua nova e o Dia do Descanso, os seus jejuns – não passam de grossas mentiras!  E não há nada que Eu odeie tanto quanto uma religião fingida!; Levítico 18:27-30 – “É isso mesmo! O povo que vive na terra para onde vou levando vocês, está sempre cometendo aqueles pecados horríveis. E qual foi o resultado? A terra ficou impura e manchada! “Cuidado, pois! Não imitem essa gente. Se não, vocês também mancharão a terra, e serão igualmente expulsos.

“Quem fizer alguma dessas coisas horríveis, será expulso desta nação.

“Portanto, tratem todos de obedecer às minhas leis. Que ninguém caia no erro de seguir aqueles maus costumes! Não se manchem praticando os pecados horríveis que o povo dessas terras costuma praticar. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês.”). Esta era a situação da igreja de Laodicéia. Igreja indiferente, rica, acomodada, cristãos apenas de nome. Isto provoca uma exclamação no coração de Jesus: “Quem dera fosses frio ou quente!” Nada é pior que algo morno a ponto de provocar náuseas.

 

d)      Sentença – “... estou a ponto de vomitar-te da minha boca.” (vs. 18b)

Estas palavras parecem soar como uma rejeição final e irrevogável da igreja dos laodicenses. Entretanto, como os versículos 18 a 20 constituem uma chamada ao arrependimento, podemos concluir que ainda havia esperança de recuperação, e estas palavras fortes destinavam-se a sacudir a igreja da sua indiferença espiritual.

A seguir, no versículo 17, Jesus dá o motivo de uma sentença tão forte para esta igreja. Era a sua auto-suficiência, traduzida pela frase: “- Estou rico e abastado, e não preciso de coisa alguma... “A prosperidade material e a tranqüilidade financeira tornaram aquela igreja orgulhosa e indiferente às coisas de Deus. Muitas pessoas cometem este mesmo engano, ou seja, o de associar a prosperidade material à prosperidade espiritual, e achar que são coisas recíprocas.

Desta forma pensavam também os judeus, que especificavam a bênção de Deus em ovelhas, bois, jumentos, mulheres, escravos, concubinas, e uma casa que não fosse assaltada. Jesus destruiu este pensamento com a parábola do rico e do Lázaro (Lucas 16:19-31 – “Era uma vez um homem rico”, disse Jesus, “que se vestia muito bem e vivia todos os dias em prazer e luxo. Um dia Lázaro, um mendigo doente, caiu na porta dele. Enquanto estava ali, querendo os restos da mesa do homem rico, os cachorros vinham lamber as suas feridas abertas. Finalmente o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o a presença de Abraão no lugar dos justos que morreram. O rico também morreu e foi sepultado, e sua alma foi para o inferno. Ali, sofrendo, ele podia ver Lázaro lá longe com Abraão.

‘Pai Abraão’, gritou ele, ‘tenha um pouco de compaixão! Mande Lázaro até aqui, ao menos para pôr na água a ponta do dedo e refrescar a minha língua, pois eu estou sofrendo nestas chamas’.

Mas Abraão lhe disse: ‘Filho,lembre-se de que durante a sua vida você teve tudo quanto queria, e Lázaro não teve nada. Portanto, agora ele está aqui sendo consolado, e você sofrendo tormentos. Além disso, há um grande abismo separando-nos, e quem quiser ir daqui para lá, é impedido, e ninguém pode chegar até nós’.

Então o rico disse: ‘Ó Pai Abraão, então por favor mande Lázaro à casa do meu pai – pois eu tenho cinco irmãos – para avisar todos a respeito deste lugar de sofrimento, a fim de que eles não venham parar aqui quando morrerem’.

Mas Abraão disse: ‘As Escrituras já os avisaram muitas vezes. Os seus irmãos podem ler isso a qualquer hora que quiserem’.

O rico respondeu: Não, Pai Abraão, eles não se darão ao trabalho de ler. Mas se alguém for mandado dos mortos a eles, então abandonarão os seus pecados’.

Porém Abraão disse: ‘Se eles não prestam atenção a Moisés e aos profetas, não ouvirão, mesmo que alguém volte do meio dos mortos’”.), e quando nos alertou a ajuntar “tesouros no céu” (Mateus 6:19,20 – Não se preocupem em acumular riquezas aqui na terra, onde tudo pode estragar-se ou ser roubado. Guardem, sim, coisas preciosas no céu, onde nunca perdem seu valor, e estão livres dos ladrões! ).

Jesus afirma ainda, que a realidade espiritual desta igreja era bem diversa da material. Diz Ele: “... nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu.” Não eram felizes, em suas relações com Deus, eram miseravelmente pobres em termos de dons espirituais, cegos por não verem-se a si mesmos e inapelavelmente nus diante de Deus.  Entretanto, apesar desta terrível situação, o Senhor apresenta um conselho para remediar o estado doentio desta igreja: “Aconselho-te que de mim compres:

1)       “Ouro refinado pelo fogo (apesar de terem um centro bancário) para te enriqueceres”- é uma linguagem metafórica, exortando a igreja a procurar as verdadeiras riquezas (Isaías 55:1 Venham, todos vocês que estão sofrendo sede, venham beber! E vocês que não têm dinheiro, venham comprar de graça vinho e leite! Venham comprar e comer!; Mateus 13:44-46 – O Reino dos Céus é como um tesouro que um homem descobriu num campo. Na sua alegria, ele vendeu tudo quanto possuía, a fim de arranjar o dinheiro suficiente para comprar o campo – e conseguir o tesouro também!

       Ainda o Reino dos céus é como um negociante de pérolas em busca de pérolas escolhidas. Ele     descobriu uma pérola de grande valor e vendeu tudo o que tinha para adquiri-la!).

2)      “... vestiduras brancas (apesar de fabricarem tecidos famosos) para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez...”.

3)      “... e colírio (apesar de possuírem o famoso pó frígio que ra transformado em colírio) para ungires os teus olhos, afim de que vejas.

Para a pobreza, o ouro refinado (reino de Deus), para a nudez, vestiduras (vida de santidade), para a cegueira, o colírio propiciando uma nova visão espiritual.

Jesus afirma ainda (vs. 19) que a sua disciplina tem como objetivo o arrependimento (Hebreus 12:6 – Quando Ele castiga você, isso prova que Ele o ama. Quando Ele o açoita isso prova que você é verdadeiramente filho dEle”.), e que Ele persiste continuamente para que esta igreja abra as portas para uma verdadeira comunhão com Ele (vs. 20).

 

e)      Promessa ao vencedor – “Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como eu venci, e me sentei com meu Pai no Seu trono.”(vs. 21)

Esta é uma promessa que nos dá a certeza de uma participação plena no reino messiânico de Cristo, desde agora e para todo o sempre, quando este for estabelecido integralmente (Atos 2:36 – Portanto, eu garanto a todo mundo em Israel que, deste Jesus que vocês crucificaram, Deus fez o Senhor, o Messias!”; Hebreus 1:3 – O Filho de Deus resplandece com a glória de Deus e tudo quanto o Filho de Deus é e faz revela que Ele é Deus. Ele põe em ordem o universo com a poderosa força da sua autoridade. Foi Ele quem morreu para purificar-nos e apagar o registro de todos os nossos pecados, e depois Se assentou no lugar de mais elevada honra do lado do grande Deus de céu.).

 

  
Voltar