Free Web Hosting Provider - Web Hosting - E-commerce - High Speed Internet - Free Web Page
Search the Web

CARTA À IGREJA DE FILADÉLFIA

APOCALIPSE 3:7-13

 

1 – CONTEXTO HISTÓRICO

 

Filadélfia era uma cidade do rei da Lídia, situada próxima à fronteira da Frigia nas proximidades do monte Tmolus, e era uma região da Ásia menor sujeira a freqüentes terremotos;

Esta cidade estava localizada numa região à entrada do largo vale Hermus, cortado pelo rio Coamis, à margem da grande Estrada Comercial Romana, que a ligava às outras cidades do país e ao mar Egeu, através dos portos de Éfeso e Esmirna, e distava apenas 28 milhas de Sardes;

O nome Filadélfia significa “amor fraternal”, mas não é de origem cristã, pois esta cidade foi fundada em 154 a,C. pelo rei Pérgamo, Atalo II. Ele usava o cognome Filadelfo e chamou esta cidade pelo seu nome.

Nela imperava o culto a Diana dos Efésios, a Apolo (o deus sol), a Esalápio (deus da medicina), e em conseqüência da ocupação romana, o culto ao imperador.

A igreja de Filadélfia, ao mesmo tempo que a de Esmirna, e pelos mesmos motivos, teve muitos de seus membros martirizados. Cremos que um dos poderes opressores existentes em uma das cidades, era a colônia judaica denominada nesta carta de “sinagoga de Satanás.”

 

 

2CONTEXTO BÍBLICO - COMENTÁRIO

   

a)      Credenciais de Cristo  - “... estas coisas diz o Santo, o verdadeiro, aquele que tem a chave de Davi, que abre e ninguém fechará, e que fecha e ninguém abre.”(vs.7)

-     A palavra Santo aqui empregada não é usada somente como atributo de alguém que é isento de pecado, pois é coisa óbvia. O significado mais profundo é o literal, significando portanto alguém (Jesus) totalmente separado e dedicado a Deus (João 4:34 – Foi quando Jesus explicou: Minha comida vem de fazer a vontade de Deus, que Me enviou, e terminar sua obra.);

-     Por sua vez, a palavra verdadeiro pode ter dois significados diferentes:

1)      No contexto grego significa o que é real, que corresponde ou encarna a verdade (João 14:6 – Jesus disse:”Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém pode chegar até o Pai, a não ser por Mim”.). Em Jesus toda criatura humana faz sentido e todo universo é explicado, pois Ele é aquele que ä tudo enche (satisfaz, completa) em todas as coisas (Efésios 1:23b - ... que é o Autor e Doador de todas as coisas em toda a parte.)

2)      No contexto hebraico esta palavra significa o que é fiel e confiável.  No Antigo Testamento Deus é o “que mantém para sempre a sua fidelidade” (Salmos 146:6 – o criador dos céus, da terra, do mar e de todos os seres vivos, o Deus que é Fiel e Verdadeiro para sempre.), significando que podemos confiar sempre que Ele cumprirá suas promessas. No contexto de Filadélfia a palavra “verdadeiro” lembra também o pacto que Deus fez com Israel nos tempos do Antigo Testamento, e que Ele agora cumpriu fielmente na igreja, em Jesus Cristo;

-     Entre outras credenciais, Jesus é apresentado como aquele que tem a chave de Davi. Olhando para o Antigo Testamento (Isaías 22:22 – Ele será responsável por todo o meu povo. O que ele falar será lei; ninguém desobedecerá às ordens que ele der.), vemos que quando Eliaquim recebeu a chave como novo administrador das coisas do rei, passou a ser representante do rei, estando portanto autorizado a exercer plena autoridade em nome deste. A chave de Davi é a chave da casa de Davi – o Reino messiânico. Um outro motivo para esta frase era a afirmação  dos judeus de Filadélfia  de que eles eram o verdadeiro povo de Deus que tinha em seu poder a chave do reino. Esta passagem contradiz isto pois afirma que a chave pertence a Jesus, o Messias Davídico, que é o único que tem poder absoluto para permitir o acesso ou excluir alguém do reino de Deus.

b)      Elogio – “Conheço as tuas obras – eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta a qual ninguém pode fechar – sei que tens pouca força, entretanto guardaste a minha apalavra, e não negaste o meu nome” (vs.8)

-     Esta é juntamente com Esmirna a única igreja que só mereceu elogios do Senhor. Era uma congregação tão rica em boas obras que agradava inteiramente ao Senhor, mesmo tendo pouca influência social (pouca força)  e sendo pequena. Não se tratava de uma igreja grande, cheia de recursos, e talvez o material humano não fosse pleno de potencial como em outras comunidades cristãs, entretanto era o Senhor Todo-Poderoso quem garantia a sua fé e o seu trabalho;

-     Outro elogio de Jesus, é que apesar das perseguições sofridas – muitas delas promovidas pela colônia judaica da cidade – eles haviam permanecido fiéis no Senhor;

-     Em virtude da fidelidade desta igreja, e a despeito de sua fraqueza material e social, Jesus lhe fez uma grande promessa: “tenho posto diante de ti uma porta a qual ninguém pode fechar”. Ao nosso ver esta promessa pode ser interpretada  de três maneiras distintas:

1)      Partindo do contexto de que Jesus tem autoridade absoluta para abrir a porta  do Reino de Deus, isto pode ser uma promessa de que a igreja tem entrada garantida no Reino de Deus escatológico;

2)      A segunda interpretação seria a contida em Atos 14:27 – ( Ao chegar eles convocaram a igreja e deram um relatório da viagem, contando como Deus tinha aberto a porta da fé também aos das outras nações.), quando Paulo e Barnabé relataram à igreja reunida em Antioquia, como “Deus abrira aos gentios a porta da fé”. Neste caso Jesus estaria dizendo para àquela igreja de gentios convertido que ninguém poderia fechar a “porta da fé” que Ele lhes havia aberto;

3)      O terceiro significado da porta aberta é a idéia néo-testamentária que indica uma porta de oportunidades, principalmente para a pregação do evangelho (I Coríntios 16:9 – porque há uma ampla porta bem aberta para eu pregar e ensinar aqui.; Colossenses 4:3 – Não se esqueçam de orar por nós também, a fim de que Deus nos dê muitas oportunidades  de pregar a Boa Nova de Cristo pela qual eu estou aqui na prisão.).  Ao que tudo indica  o texto ressalta  o fato de que apesar da igreja ser pequena e fraca, Cristo lhe dá poder e uma grande oportunidade de difundir o evangelho.    

 

c)      Reprimenda – Jesus não fez, à semelhança  da igreja de Esmirna, qualquer repreensão a esta comunidade cristã. Como Esmirna, eles enfrentavam uma grande perseguição dos judeus, que também eram chamados de “sinagoga de Satanás“ (vs.9). Estes judeus tentavam fechar a porta da graça, aberta pelo Senhor, impedindo a igreja local de pregar a Palavra de Deus.

A despeito da situação destes falsos judeus (Romanos 2:28-29 – Vocês, na realidade, não são judeus só porque nasceram de pais judeus ou porque passaram pela cerimônia da circuncisão  para serem admitidos ao judaísmo. Não, judeu verdadeiro é qualquer um cujo coração esteja direito com Deus. Deus não procura aqueles que cortam seu corpo através da circuncisão física real, mas procura aqueles cujos corações e mentes foram mudados. Qualquer um que tiver esse tipo de mudança em sua vida, receberá o louvor de Deus, mesmo se o não receber de vocês.), Jesus lhes faz uma promessa: “eis que os farei vir e prostrar-se aos teus pés, e conhecer que Eu te amei.” Esta afirmativa pode ter dois sentidos:

1 – Alguns judeus que lhes faziam oposição, converter-se-iam, tal como aconteceu com Paulo e com Sóstenes, o principal da sinagoga (Atos 18:17 – Então a multidão agarrou Sóstenes, o novo líder da sinagoga, e o espancou do lado de fora do tribunal! Porém Gálio não se importou com nada.) e I Coríntios 1:1 – De: Paulo, escolhido por Deus para ser missionário de Cristo, e do irmão Sóstenes.).

2 – Os judeus se converteriam ao Senhor da igreja em um momento escatológico determinado por Deus (Romanos 11:25-28 – Quero que vocês, queridos irmãos, conheçam esta verdade que vem de Deus para que não fiquem orgulhosos e comecem a se gabar. Sim, é bem verdade que alguns judeus agora se puseram contra o Evangelho, porém isso vai durar somente até que todos vocês, que não são judeus, tenham vindo a Cristo – isto é, aqueles que quiserem. E então todo o Israel será salvo.

Vocês se recordam do que os profetas disseram a respeito disso? “De Sião sairá um Libertador, e Ele afastará os judeus de toda a impiedade. Naquele tempo Eu tirarei os pecados deles, tal como prometi”.

Muitos judeus agora são inimigos do Evangelho. Eles o odeiam. Isso, porém, tem sido um benefício para vocês, pois teve como conseqüência Deus dar os seus dons a vocês, os gentios. Entretanto, os judeus ainda são amados por Deus, por causa de suas promessas a Abraão, Isaque e Jacó.); (Lucas 21:24 – Eles serão mortos pelas armas inimigas, ou expulsos de suas terras para ficarem escravos de todas as nações do mundo; e Jerusalém será conquistada e pisada pelos homens que não temem a Deus, até que o período da vitória dos maus se acabe no tempo que for apropriado para Deus.)

d)      Sentença – “porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da provação que há vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.”(v.10)

-     Aqui temos uma sentença positiva e eminentemente escatológica. Jesus não somente dizia àquela igreja local que os protegeria das provações, mas fazia principalmente uma promessa à sua igreja universal. “Eu te guardarei”, perante a teologia dos evangelhos, não associa a preservação à sobrevivência física (João 12:23-25 – Jesus respondeu que havia chegado a hora de Ele voltar à sua glória no céu, e que “Eu devo morrer como um grão de trigo que cai dentro da terra. Se Eu não morrer, ficarei sozinho – uma semente isolada. Porém a minha morte produzirá muitos novos grãos de trigo – uma abundante safra de novas vidas. Se amarem sua vida aqui embaixo – vocês perderão a vida real. Se desprezarem sua vida aqui embaixo – vocês trocarão esta vida pela glória eterna.), e pode ser interpretado como uma proteção especial de Deus à nossa integridade espiritual como indivíduos diante de Deus (Romanos 8:36-39 – Não, pois as Escrituras nos dizem que por sua causa precisamos estar prontos a enfrentar a morte a qualquer momento do dia – somos como ovelhas, prontas a ser abatidas no matadouro. Mas apesar de tudo isso, temos uma vitória esmagadora por meio de Cristo, que nos amou a ponto de morrer por nós.    Estou convencido de que nada poderá jamais nos separar do seu Amor. A morte não o  pode, nem tampouco a vida. Os anjos não o poderão, e todas as forças do inferno não poderão afastar de nós o amor de Deus. Nossos temores pelo dia de hoje, nossas preocupações sobre o dia de amanhã, ou o lugar onde estivermos – bem alto no céu, ou nas profundezas do mar – nada, jamais, será capaz de separar-nos do amor de Deus demonstrado pelo nosso Senhor Jesus Cristo quando morreu por nós.). Como incentivo final Jesus recomenda ainda que conservassem as posses espirituais já obtidas para que o galardão final não pudesse jamais ser roubado (vs.11).

 

e)      Promessa aos vencedores – são quatro as promessas feitas aos vencedores dessa igreja fiel e perseverante (vs. 12). 

1)      “Fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá”- esta é uma promessa de que o vencedor terá uma ligação inabalável com Deus no seu reino eterno, onde o santuário segundo Apocalipse 21:22 será o próprio Deus.

2)       “Gravarei também sobre ele o nome do meu Deus”- esta promessa traduz a marca da possessão eterna (Números 6:22-27 – Disse o Senhor a Moisés: “Diga a Arão e aos filhos de Arão que eles devem abençoar os filhos de Israel da seguinte maneira:

‘Que o Senhor os abençoe e proteja; que o rosto do Senhor brilhe de alegria por causa de vocês; que Ele tenha piedade de vocês; lhes conceda o seu favor e a sua paz.’Esta é a maneira como Arão e seus filhos pedirão para que Eu abençoe os filhos de Israel, e Eu mesmo responderei abençoando o povo.”), já que o nome de Jesus está sobre os seus eleitos.

3)      “Gravarei também sobre ele... o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém que desce do céu, vinda da parte do meu Deus...”- esta é uma promessa que traduz a posse da cidadania celestial (Filipenses 3:20 – Mas a nossa pátria está no céu, com o nosso Salvador, o Senhor Jesus Cristo; e nós estamos aguardando esperançosos a sua volta de lá.) a todos aqueles que se tornarem vencedores.

4)       “Gravarei também sobre ele... o meu novo nome”- já vimos anteriormente que na Bíblia o nome de alguém tem uma relação íntima com o seu caráter e missão. O nome de Jesus tinha e tem ainda uma ligação intrínseca com o seu caráter messiânico, e com sua missão salvadora (Mateus 1:21 – E ela terá um Filho, que será chamado Jesus (Salvador), porque Ele salvará o seu povo dos pecados deles.); (Lucas l:30-33 – “Não se assuste, Maria”, disse-lhe o anjo, “porque Deus resolveu abençoá-la maravilhosamente! Muito em breve você ficará grávida, terá um menino, e Lhe dará o nome de ‘Jesus’.

Ele será muito importante, sendo chamado o Filho de Deus, e o Senhor Deus Lhe dará o trono do seu antepassado Davi. Ele reinará sobre Israel para sempre, e o seu Reino nunca acabará!”).  Assim esta promessa se refere à participação dos vencedores nas novas e tremendas realizações de Jesus no seu reino eterno.

 

 

  
Voltar